quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Um Poeta...

É bom escrever sobre quem gosto! As palavras saem fácil, leves e soltas. Na verdade, elas saltam felizes, com vontade de ganhar rápido um espaço no papel, de ganharem vida, existirem por um momento no dia-a-dia de alguém! E eu gosto dos poetas! Principalmente, amo a alma dos poetas!

Li e fiquei fascinada com a idéia, que deus no oitavo dia criou os poetas! E os loucos! Claro, se ele trabalhou por seis dias e descansou no sétimo, nada mais sensato que ele depois desse repouso, tranquilo e inspirador, criasse essas criaturas que enfeitam a vida e dão significado à existência!

Os fortes relogios
dão razão à hora cindida, roucos.

Tu, presa nas tuas profundezas, somes de ti
para sempre."
A poesia, nasce sempre de emoções, e quando ela surge, vinda de sofrimentos mais profundos, é uma afirmação de humanidade muito grande e uma expressão de beleza imensa!

Pois Paul Celan, poeta de língua alemã, nascido na Romênia, conheceu o terror da guerra, da intolerância dos homens, do desamor do mundo! Celan foi um sobrevivente dos campos de concentração. Ele consegue fugir, mas seus pais morrem sob a irracionalidade nazista. Li, certa vez, que depois de um campo de extermínio, não é - ou pelo menos não poderia ser - possível escrever poesia.

Mas Paul Celan fez poesia e é hoje considerado um dos mais importantes poetas modernos, do pós guerra. E em suas palavras, na delicadeza imensa de suas emoções, percebemos que a beleza e os sentimentos podem abrandar a violência e a estupidez dos homens. Ele nos mostra, de forma comovente, que é possível sim fazer poesia! Que são palavras e emoções que limam a ignorância do mundo!

É interessante a observação que li sobre a relação dos escritores e seus textos. 'Em que medida a vida real de um poeta, importa para o poema?' E no instante seguinte já responde 'temos que reconhecer que a vida de um poeta também recebe as marcas de seus poemas: ela é habitada por eles!' Particularmente, penso que elas se misturam, vida e palavras e poesia e arte. São estreitamente ligadas! Inseparáveis!

"Quem arranca do peito seu coração para a noite, deseja a rosa.
São seus a folha e o espinho,

sapara ele ela põe a luz no prato,
para ele ela enche os copos com sopro, para ele murmuram as sombras do amor.

Quem arranca do peito seu coração para a noite e o atira alto:
não erra o alvo
apedreja a pedra, a ele bate o sangue do relógio,
para ele sua hora soa o tempo na mão..."
Os poetas conhecem melhor as dores do mundo e suas contradições. Os poetas conhecem mais do bem e do mal do que qualquer tese de todos os filósofos.
Os poetas conhecem com o coração e a emoção!

Mas num dia, em que sentia mais profundamente a hostilidade do mundo, Paul Celan suicidou-se nas águas do Sena. Levou sua vida, mas deixou a sua poesia! E a humanidade não sobrevive sem poesia e beleza. Seria muito cruel e escura e triste a existência!

Paul Celan também duvidou da legitimidade e da possibilidade de escrever poesia depois de Auschwitz. Mas fez dessa dor lancinante e da própria dilaceração, a essência de seu altíssimo e quase impenetrável lirismo.

Celan saltou do abismo de sua dor para a luz!

"Da mão o outono me come sua folha: somos amigos.
Descascamos o tempo das nozes e o ensinamos a andar:

o tempo retorna à casca.
No espelho é domingo,
no sonho se dorme,
a boca não mente.
Meu olho desce ao sexo da amada:
olhamo-nos,

dizemo-nos o obscuro,
amamo-nos como ópio e memória,
dormimos como vinho nas conchas,
como o mar no raio sangrento da lua.
Entrelaçados à janela, olham-nos da rua:
já é tempo de saber!

Tempo da pedra dispor-se a florescer,

de um coração palpitar pelo inquieto,
É tempo do tempo ser.. É tempo."

2 comentários:

  1. Sem dúvidas que o sofrimento que nos faz mais fortes. Não conhecia esse poeta, vou procurar saber mais.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. A terra dorme em sobressalto
    Um grito brota da alma
    Danço com esta bruma de Inverno
    Rodopia em meu peito uma estranha calma

    Águas despertas, Mar bravio
    Cai sobre mim um nevoeiro perverso
    Uma onda estende seu manto de espuma
    Açoita as pedras adiando o regresso


    Boa semana


    Mágico beijo

    ResponderExcluir