quarta-feira, 8 de abril de 2009

Navegar é preciso...



Agora eu sei
que o destino é navegar
Vou morrer sem saber
aonde é o cais.



9 comentários:

  1. Essas "filosofias" de deixa a vida me levar são ótimas, mas realmente não funcionam pra mim. É incrível como eu busco sempre a estabilidade e preciso ter, pelo menos, uma ideia de onde estou indo. Acho que sou encanada demais, rs.

    ResponderExcluir
  2. Aline, fiquei escondida nas
    entrelinhas...

    Beijos, querida!

    ResponderExcluir
  3. JAC, como diria Paulinho da Viola, na música, Timoneiro: "...faça como o velho marinheiro/que durante o nevoeiro/leva o barco devagar".

    Os nevoeiros, passam.

    ResponderExcluir
  4. Paulo, isso é só um jeito de olhar, sem
    angústia ou sofrimento. Só uma constatação!

    Pra mim, o sentido de tudo está em algum
    ponto, envolvido na bruma.

    E do Paulinho da Viola eu gosto de tudo!!
    Mas..."tá legal, eu aceito o argumento..."

    Abraço.

    ResponderExcluir
  5. Somos mais livres de dogmas para viver, quando nos deixamos apenas navegar...

    ResponderExcluir
  6. Obrigado pela visita!

    E... mar a dentro... sempre

    bj!

    ResponderExcluir
  7. Para que a terra não trema
    Para que esta Ilha seja de boa guarida
    Mil e muitas ave-marias
    Para iluminar tanta alma perdida

    Em meu peito bate a fé
    Sou um caminhante de muda revolta
    Olhos presos a este manto verde
    Alma que se ergue e fica solta


    Boa Páscoa


    Mágico beijo

    ResponderExcluir